segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Como escolher a melhor panela para cozinhar


COMO ESCOLHER A MELHOR PANELA PARA COZINHAR

Inox

Indicada por especialistas como um utensílio seguro, é uma boa escolha para o dia a dia. É composta pelos metais ferro, cromo e níquel. Esses dois últimos são tóxicos, mas a liberação da panela de inox é pequena e não traz prejuízos à saúde. “Mesmo assim, se a panela for nova, é bom fervê-la com água de 3 a 4 vezes antes de usar para que a migração dos metais seja diminuída no cozimento dos alimentos”, afirma Patrícia.

Cerâmica

Não é muito comum. Suporta bem a lavagem após o uso e é de fácil manuseio. Mas, se for usá-la, sempre a observe bem por dentro: a pintura pode conter chumbo e cádmio, elementos altamente tóxicos.

Panela de pressão

Utilizada para o cozimento rápido de alimentos, como legumes, carnes e feijão, é um tipo liberado pelos especialistas. Em relação à conservação dos nutrientes, não diferencia em relação às panelas convencionais, só possui a vantagem de ser mais rápida. Hoje, no mercado, já existem opções de aço inoxidável, que são mais caras, porém com ótima durabilidade.

Alumínio

Ela está presente na maioria dos lares brasileiros e pode ser usada no preparo de vários tipos de alimentos. No entanto, Patrícia Davidson reprova sua utilização: “Quanto mais nova a panela, mais ela libera o metal. É por essa razão que, antes do uso, é necessário fervê-la com água, três vezes seguidas”. Outro problema está relacionado ao ato de arear, um dos principais responsáveis pela migração do alumínio para os alimentos. “Aquelas manchas escuras que ninguém gosta de deixar na panela atuam como uma proteção”, alerta Camillo Leijoto, ressaltando que as panelas velhas facilitam a liberação do metal.

Barro

Não é nada comum nos lares brasileiros, mas, pelo seu papel na história das panelas, não pode ser esquecida. Foi a primeira a ser utilizada pela facilidade de se conseguir o barro. No Estado do Espírito Santo, já foram encontradas algumas com mais de 400 anos. Para o uso, também deve ser preparada antes, com duas colheres de azeite de oliva por dentro, deixando-a no fogo até que o óleo queime com fumaça preta. Após este cuidado, está liberada para o uso. O ideal é reservá-la para pratos especiais como uma boa moqueca de frutos do mar.

Vidro: a mais indicada

Por não conter nenhum tipo de metal em sua composição, ela foi escolhida o melhor tipo de panela, segundo os especialistas  ouvidos nesta matéria. Outra vantagem é que, como os alimentos não grudam no vidro, a lavagem e a desinfecção ficam mais fáceis. A panela ainda é a única que pode ser utilizada no fogão e depois ser armazenada na geladeira sem nenhum dano aos alimentos. Mas, para se cozinhar, o fogo deve estar sempre baixo, porque ela esquenta muito rápido. Infelizmente é um dos tipos mais caros do mercado e, por ser bastante pesada, pede cuidado no manuseio para evitar acidentes.

Cobre

Caras e raras de se ver, são muito utilizadas para preparo de doces em calda. Por ter a superfície interna revestida de politetrafluoretileno (PTFE), titânio ou aço inoxidável, não permite aderência ao fundo. Na hora de lavar, use detergente neutro com uma esponja macia.

Pedra sabão

Deixa a comida muito saborosa, pois conserva o calor. Como são pesadas, deve-se tomar cuidado com o manuseio. A cada uso é preciso prepará-la antes: besunte-a por dentro e por fora com azeite de oliva, encha-a com água e coloque no forno a 180ºC durante duas horas.

Esmaltada

Atrai pela estética, é leve e durante o cozimento não libera nenhum material perigoso ou tóxico. Mas, se começar a soltar alguma parte do esmalte, que é vitrificado sobre o aço, há o perigo de contaminação. Por isso, é importante sempre ficar atento ao seu tempo de uso.

Cerâmica

Não é muito comum. Suporta bem a lavagem após o uso e é de fácil manuseio. Mas, se for usá-la, sempre a observe bem por dentro: a pintura pode conter chumbo e cádmio, elementos altamente tóxicos.

Alumínio

Ela está presente na maioria dos lares brasileiros e pode ser usada no preparo de vários tipos de alimentos. No entanto, Patrícia Davidson reprova sua utilização: “Quanto mais nova a panela, mais ela libera o metal. É por essa razão que, antes do uso, é necessário fervê-la com água, três vezes seguidas”. Outro problema está relacionado ao ato de arear, um dos principais responsáveis pela migração do alumínio para os alimentos. “Aquelas manchas escuras que ninguém gosta de deixar na panela atuam como uma proteção”, alerta Camillo Leijoto, ressaltando que as panelas velhas facilitam a liberação do metal.

Antiaderente

Nada mais é do que uma panela de alumínio revestida com um polímero chamado politetrafluoretileno (PTFE), mais conhecido pelos nomes comerciais como teflon® e T-FAL®. A principal vantagem é que ela dispensa o uso de óleos ou outras gorduras, tornando a refeição mais saudável. É uma ótima panela, desde que seu revestimento esteja intacto — sem o alumínio à mostra —, mas não deve ser colocada diretamente no fogo, sem nenhum alimento dentro, pois isso prejudica sua durabilidade. Outras recomendações importantes incluem a utilização de colheres de plástico e sua imediata substituição assim que aparecerem arranhões. “Esse tipo de revestimento suporta uma temperatura de até 250ºC, o valor do cozimento normal dos alimentos, mas a panela deve ser deixada de lado quando falamos de fritura, onde a temperatura é muita elevada e pode haver a formação de substâncias cancerígenas, como as aminas heterocíclicas”, ressalta a nutricionista Patrícia Davidson.

Está e uma boa dica de saúde gostou beijus.

Bolo de caneca


Bolo de Banana do Interior na caneca

ingredientes

Massa

4 colheres de farinha de rosca
2 colheres de trigo integral
5 colheres de óleo (de preferência de girassol)
15 colheres de leite
2 colheres de açúcar mascavo
2 colheres de melado de cana
1 colher de fermento em pó
2 bananas prata ou nanica
canela para polvilhar
Opcional

Aveia em flocos
Linhaça
modo de preparo

Em uma vasilha misture a farinha de rosca com o trigo integral
Adicione o óleo, o leite, o açúcar mascavo e o melado
Junte as bananas picadas e por último o fermento
Unte a caneca com óleo e trigo integral, polvilhe canela no fundo
Adicione a massa até metade da caneca
Torne a polvilhar a canela por cima
Deixe assar por 3 minutos no micro-ondas em potência alta.


Aposto que vai gostar beijus