terça-feira, 26 de novembro de 2013

Creme para tirar cravos caseiro

Creme Caseiro para Cravos

Creme caseiro para cravos é indicado principalmente para peles sensíveis, por ser livre de produtos químicos não agride a pele e promove resultados tão bom quanto os cremes caros.

Ingredientes

1 colher de sopa de leite
1 colher de sopa de gelatina sem sabor
Um recipiente próprio para o micro-ondas
Pincel pequeno com a ponta macia para usar na aplicação

Modo de preparo e uso

Misture no recipiente a gelatina com o leite até ficar uma mistura homogênea.
Aqueça a mistura no microondas cerca 10 segundos, mexa novamente para evitar que algumas partes fiquem muito quentes e outras frias.
Verifique a temperatura da mistura no interior do braço (quando já estiver frio), aplique com o pincel, no nariz, no queixo e na testa.
Deixe secar 10 minutos e remova delicadamente.
Lave o rosto e aplique seu hidratante facial.
Atenção. Não aplique o creme sobre a pele machucada, inflamada ou com espinhas. Aplique de preferência após o banho, quando os poros estão dilatados, o que facilita a remoção das impurezas e melhora o resultado final.

Adorei esta dica espero que goste também,beijus

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Como escolher a melhor panela para cozinhar


COMO ESCOLHER A MELHOR PANELA PARA COZINHAR

Inox

Indicada por especialistas como um utensílio seguro, é uma boa escolha para o dia a dia. É composta pelos metais ferro, cromo e níquel. Esses dois últimos são tóxicos, mas a liberação da panela de inox é pequena e não traz prejuízos à saúde. “Mesmo assim, se a panela for nova, é bom fervê-la com água de 3 a 4 vezes antes de usar para que a migração dos metais seja diminuída no cozimento dos alimentos”, afirma Patrícia.

Cerâmica

Não é muito comum. Suporta bem a lavagem após o uso e é de fácil manuseio. Mas, se for usá-la, sempre a observe bem por dentro: a pintura pode conter chumbo e cádmio, elementos altamente tóxicos.

Panela de pressão

Utilizada para o cozimento rápido de alimentos, como legumes, carnes e feijão, é um tipo liberado pelos especialistas. Em relação à conservação dos nutrientes, não diferencia em relação às panelas convencionais, só possui a vantagem de ser mais rápida. Hoje, no mercado, já existem opções de aço inoxidável, que são mais caras, porém com ótima durabilidade.

Alumínio

Ela está presente na maioria dos lares brasileiros e pode ser usada no preparo de vários tipos de alimentos. No entanto, Patrícia Davidson reprova sua utilização: “Quanto mais nova a panela, mais ela libera o metal. É por essa razão que, antes do uso, é necessário fervê-la com água, três vezes seguidas”. Outro problema está relacionado ao ato de arear, um dos principais responsáveis pela migração do alumínio para os alimentos. “Aquelas manchas escuras que ninguém gosta de deixar na panela atuam como uma proteção”, alerta Camillo Leijoto, ressaltando que as panelas velhas facilitam a liberação do metal.

Barro

Não é nada comum nos lares brasileiros, mas, pelo seu papel na história das panelas, não pode ser esquecida. Foi a primeira a ser utilizada pela facilidade de se conseguir o barro. No Estado do Espírito Santo, já foram encontradas algumas com mais de 400 anos. Para o uso, também deve ser preparada antes, com duas colheres de azeite de oliva por dentro, deixando-a no fogo até que o óleo queime com fumaça preta. Após este cuidado, está liberada para o uso. O ideal é reservá-la para pratos especiais como uma boa moqueca de frutos do mar.

Vidro: a mais indicada

Por não conter nenhum tipo de metal em sua composição, ela foi escolhida o melhor tipo de panela, segundo os especialistas  ouvidos nesta matéria. Outra vantagem é que, como os alimentos não grudam no vidro, a lavagem e a desinfecção ficam mais fáceis. A panela ainda é a única que pode ser utilizada no fogão e depois ser armazenada na geladeira sem nenhum dano aos alimentos. Mas, para se cozinhar, o fogo deve estar sempre baixo, porque ela esquenta muito rápido. Infelizmente é um dos tipos mais caros do mercado e, por ser bastante pesada, pede cuidado no manuseio para evitar acidentes.

Cobre

Caras e raras de se ver, são muito utilizadas para preparo de doces em calda. Por ter a superfície interna revestida de politetrafluoretileno (PTFE), titânio ou aço inoxidável, não permite aderência ao fundo. Na hora de lavar, use detergente neutro com uma esponja macia.

Pedra sabão

Deixa a comida muito saborosa, pois conserva o calor. Como são pesadas, deve-se tomar cuidado com o manuseio. A cada uso é preciso prepará-la antes: besunte-a por dentro e por fora com azeite de oliva, encha-a com água e coloque no forno a 180ºC durante duas horas.

Esmaltada

Atrai pela estética, é leve e durante o cozimento não libera nenhum material perigoso ou tóxico. Mas, se começar a soltar alguma parte do esmalte, que é vitrificado sobre o aço, há o perigo de contaminação. Por isso, é importante sempre ficar atento ao seu tempo de uso.

Cerâmica

Não é muito comum. Suporta bem a lavagem após o uso e é de fácil manuseio. Mas, se for usá-la, sempre a observe bem por dentro: a pintura pode conter chumbo e cádmio, elementos altamente tóxicos.

Alumínio

Ela está presente na maioria dos lares brasileiros e pode ser usada no preparo de vários tipos de alimentos. No entanto, Patrícia Davidson reprova sua utilização: “Quanto mais nova a panela, mais ela libera o metal. É por essa razão que, antes do uso, é necessário fervê-la com água, três vezes seguidas”. Outro problema está relacionado ao ato de arear, um dos principais responsáveis pela migração do alumínio para os alimentos. “Aquelas manchas escuras que ninguém gosta de deixar na panela atuam como uma proteção”, alerta Camillo Leijoto, ressaltando que as panelas velhas facilitam a liberação do metal.

Antiaderente

Nada mais é do que uma panela de alumínio revestida com um polímero chamado politetrafluoretileno (PTFE), mais conhecido pelos nomes comerciais como teflon® e T-FAL®. A principal vantagem é que ela dispensa o uso de óleos ou outras gorduras, tornando a refeição mais saudável. É uma ótima panela, desde que seu revestimento esteja intacto — sem o alumínio à mostra —, mas não deve ser colocada diretamente no fogo, sem nenhum alimento dentro, pois isso prejudica sua durabilidade. Outras recomendações importantes incluem a utilização de colheres de plástico e sua imediata substituição assim que aparecerem arranhões. “Esse tipo de revestimento suporta uma temperatura de até 250ºC, o valor do cozimento normal dos alimentos, mas a panela deve ser deixada de lado quando falamos de fritura, onde a temperatura é muita elevada e pode haver a formação de substâncias cancerígenas, como as aminas heterocíclicas”, ressalta a nutricionista Patrícia Davidson.

Está e uma boa dica de saúde gostou beijus.

Bolo de caneca


Bolo de Banana do Interior na caneca

ingredientes

Massa

4 colheres de farinha de rosca
2 colheres de trigo integral
5 colheres de óleo (de preferência de girassol)
15 colheres de leite
2 colheres de açúcar mascavo
2 colheres de melado de cana
1 colher de fermento em pó
2 bananas prata ou nanica
canela para polvilhar
Opcional

Aveia em flocos
Linhaça
modo de preparo

Em uma vasilha misture a farinha de rosca com o trigo integral
Adicione o óleo, o leite, o açúcar mascavo e o melado
Junte as bananas picadas e por último o fermento
Unte a caneca com óleo e trigo integral, polvilhe canela no fundo
Adicione a massa até metade da caneca
Torne a polvilhar a canela por cima
Deixe assar por 3 minutos no micro-ondas em potência alta.


Aposto que vai gostar beijus

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Purê de inhame light

Receita de Purê de Inhame Light

Receita de purê de Inhame light na dieta é ótimo para substituir o arroz no almoço ou na janta. É fácil de preparar e ainda é super leve e gostoso.

Receita de inhame

1 kg de inhame
1 cebola picada
2 dentes de alho
1 xícara (chá) de alho-poró picado
2 colher (sopa) de azeite

Como preparar o inhame

Descasque os inhames e corte em quatro.
Coloque para cozinhar em uma panela com água e sal.
Quando estiver mole, apague o fogo e os retire da água. Reserve a água do cozimento.
Em uma frigideira média coloque o azeite e deixe ficar bem quente, adicione o alho, a cebola e refogue.
Quando estiver bem refogado coloque o alho poró. Refogue. Por último o inhame.
Amasse com um garfo e misture tudo. Mexa sem parar.
Corrija o sal. Se for necessário coloque um pouco de água, use a água do cozimento.
Rendimento 4 porções

Gostou, até o próximo post.

Panqueca de abóbora

PANQUECA DE ABÓBORA COM CARNE
Acompanhamento
4 porções
Ingredientes
Recheio
2 colheres (sopa) de óleo
1 dente de alho espremido
meia cebola média picada
500 g de carne bovina moída
meia xícara (chá) de polpa de tomate
1 sachê de Caldo SAZÓN® Caseiro
meia colher (chá) de sal
1 colher (sopa) de farinha de trigo
1 ovo cozido e picado
1 colher (sopa) de salsa picada
Massa
1 ovo
2 colheres (sopa) de manteiga sem sal
1 e meia xícara (chá) de leite (300 ml)
1 sachê de Tempero SAZÓN® Laranja
1 colher (chá) de sal
1 xícara (chá) de abóbora-japonesa cozida e picada (120 g)
meia xícara (chá) de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento em pó
meia xícara (chá) de quinua em flocos (40 g)

Modo de preparo
Prepare o recheio: em uma panela média, aqueça o óleo em fogo alto e refogue o alho e a cebola por 3 minutos, ou até dourarem. Acrescente a carne moída e frite por 10 minutos, ou até mudar completamente de cor. Adicione a polpa de tomate, o Caldo SAZÓN® e o sal, e deixe cozinhar por 2 minutos. Junte a farinha de trigo e cozinhe por mais 3 minutos, ou até encorpar. Acrescente o ovo e a salsa, misture e retire do fogo. Reserve aquecido.
Faça a massa: no copo do liquidificador, coloque o ovo, a manteiga, o leite, o Tempero SAZÓN®, o sal, a abóbora, a farinha de trigo, o fermento e a quinua, e bata por 2 minutos.
Unte com óleo uma frigideira antiaderente de 13 cm de diâmetro e leve ao fogo médio para aquecer. Espalhe uma pequena porção da massa girando a frigideira e alisando com as costas de uma colher para que fique uniforme. Deixe cozinhar até aparecerem bolhinhas na superfície e as bordas se soltarem (cerca de 1 minuto). Com o auxílio de uma espátula, vire a massa e frite o outro lado por mais 1 minuto. Frite o restante da massa, repondo o óleo quando necessário.
Distribua o recheio no canto de cada uma delas, enrole-as e sirva em seguida, acompanhadas do molho de sua preferência.

Dica
A abóbora-japonesa, também conhecida como "kabotcha" é aquela de casca verde-escuro, de formato arredondado.

Gostou faz e me chama pra  degustarmos juntas, beijusss

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Conheça alguns óleos e seus benefícios

Os óleos naturais podem ser, também, uma excelente opção para tratar seus cabelos. Retirados diretamente das plantas, inúmeros benefícios são oferecidos por estes óleos no tratamento de cabelos, podendo-se destacar:
- Promovem o crescimento do fio;
- Fortalecimento do fio;
- Minimização da oleosidade;
- Redução de caspas;
- Agem como aliados no tratamento e controle de problemas como queda capilar.
Quanto a forma de aplicação dos óleos, podem variar conforme a necessidade. Eles podem ser utilizados puros, em forma de cremes, xampus, condicionadores, compressas. Assim, antes de você iniciar esse tipo de tratamento, é importante que busque orientação para saber qual é o óleo mais adequado para seu tipo de cabelo e a forma de uso correta.
Conheça agora, os mais famosos óleos naturais para o tratamento de cabelos:

Óleo de Semente de Uva

Estimula o rápido crescimento do cabelo e dá força e brilho.
Rico em vitamina E, esse óleo é reconhecido como um remédio natural para estimular o crescimento rápido do cabelo. Ele fortalece o fio e torna os cabelos mais brilhantes e menos frágeis. O óleo de uva é rapidamente absorvido pelos fios, podendo ser aplicado em qualquer tipo de cabelo. Nos cabelos dos tipos secos e crespos, esse óleo suaviza as cutículas do cabelo, preservando a umidade para manter o aspecto de hidratação.

Óleo de Coco

É um excelente hidratante natural, além de controlar o frizz e as pontas duplas.
Dotado de propriedades que restauram a estrutura do fio, esse óleo é fonte de ácidos graxos e vitamina E. É um excelente hidratante natural, sendo indicado para fios ressecados, devido seu alto poder de penetração. Pode ser aplicado na forma de óleo puro ou manteiga. O óleo de coco controla o frizz e as pontas duplas, além de deixar os cabelos maleáveis e fáceis de pentear.

Óleo de Rícino

Fortalece e estimula o cabelo.
Derivado da mamona, este óleo fortalece o fio e estimula o crescimento do cabelo. Há quem use o óleo de mamona com a mesma finalidade nos cílios e sobrancelhas.

Óleo de Jojoba

Dá brilho, previne as caspas e serve para todos tipos de cabelos.
É bom para todos os tipos de cabelos. Serve para dar brilho, previne a caspa e a perda dos fios. Outro benefício desse óleo é deixar o bulbo capilar limpo e livre para o crescimento de novos fios.

Óleo de Argan

Indicando para cabelos ondulados ou cacheados, é um excelente hidratante e também anti-oxidante.
Extraído de uma árvore natural do Marrocos, esse óleo é um excelente hidratante. É indicadíssimo para os cabelos cacheados ou ondulados, que costumam ser mais secos e armados. O óleo de argan também é antioxidante natural. Ao combater os radicais livres, ele ajuda a reparar os danos na membrana celular. Também é fonte de vitamina E, que fortalece e protege o fio. Por ser pouco gorduroso e de fácil absorção, o óleo de Argan pode ser utilizado também em fios oleosos. Uma outro benefício desse óleo são as propriedades hidrofóbicas (que repelem a água), evitando o efeito frizz nos cabelos em dias úmidos e chuvosos.

Basta usar para ver os resultados, beijus.

Como limpar suas jóias

Como limpar suas jóias
Em primeiro lugar tome muito cuidado com os "líquidos milagrosos" para limpeza de jóias e semi-jóias, eles na verdade são ácidos e abrasivos, em um primeiro momento deixam a peça linda, mas em 3 dias ela já estará com aspecto de velha e perderá todo o brilho.

Segue algumas dicas:

Dicas de Armazenamento:
O primeiro passo é não ter suas jóias umas sobre as outras, suas jóias devem ser acondicionadas uma a uma, em caixas adequadas para jóias, ou então em saquinhos de plástico bem fechados, e fora do alcance da luz, conservando assim o brilho delas.
Evite contato com produtos químicos como, perfumes, cloro e outros produtos de limpeza, esses agentes aceleram a oxidação de sua jóia.
Vale lembrar que até alimentos ácidos manuseados com sua jóia ou muito consumidos cooperarão para a oxidação dela.

Como limpar sua jóia:
Aqueça, sem ferver, um pouco de água comum pouco de sabão de coco líquido ou em barra, deixe sua peça de molho por no máximo 15 minutos.
Lave-a bem, não deixe nenhum resíduo de sabão de coco.
Com um pouco de bicarbonato de sódio ou pasta de dente BRANCA (atenção tem que ser branca) e uma escova macia, para não riscar a jóia, escove-a para que todos os cantinhos e buraquinhos fiquem limpos.
Enxague-a novamente, novamente não deixe nenhum resíduo, seque-a de preferência com secador de cabelo ou com um pedaço de tecido de algodão.

Gostou, beijuss